23 de dezembro de 2011

Cartão de Natal para o Rodas

Querido J. G. Rodas,

Não julgo necessário o tratamento por “magnífico”. Antes de funcionário, considero-lhe um verdadeiro amigo (embora eu saiba que você prefere o Serra). Adoraria marcar um café com você no meu gabinete ainda esse ano. Mas sei que as férias lhe são um momento bastante oportuno e, por isso, faço meus votos de prosperidade através deste cartão de Natal.

Natal é momento de celebrar o nascimento do Senhor. E somente abaixo dele, Rodas, você deve estar na Universidade de São Paulo. Eu diria ser Deus no céu, eu no Palácio dos Bandeirantes e você na reitoria desocupada (digo, ex-invadida). Ah, se eu pudesse lhe dar o prêmio de “funcionário do ano”... Seu trabalho em 2011 foi um primor! Polícia Militar, expulsão de estudantes, bônus salarial para quem não fez greve. O que dizer, então, dos tapetes de seu gabinete e dos imóveis na Avenida Paulista? A Lu adorou!

Mas precisamos olhar para 2012. Sabia que eu sou fã daquela sua foto de braços cruzados na Praça do Relógio? Seu terno está bem alinhado, a gravata bem escolhida e, principalmente, seu olhar aponta para o futuro. Espero que 2012 seja para você, Rodas, um ano de muita polícia no campus. Desde os tempos da Faculdade de Direito, você e a PM fazem uma dupla inseparável. Utilize-se dos conselhos de Roberto Requião, ex-governador do Paraná — “é cadeia e cacete”, e bote a moçada da USP para correr. Espero que 2012 seja para você, Rodas, um ano de muita reforma na USP. Corte vagas na EACH, derrube barracões, faça centro de convenções. Não tenha dó dos cursos de baixa demanda social, mas também não poupe as unidades mais chiques: mande a POLI para Santos, corte disciplinas na FEA e siga em frente na empreitada contra a Biblioteca da Faculdade de Direito. Espero que 2012 seja para você, Rodas, um ano de muito brilhantismo. Aproveite as páginas da Veja, os editoriais da Folha e as manchetes do Datena — aja, como diz a moçada da USP, like a Rodas. Assim, quando em 2014 eu for eleito presidente da República, quem sabe você não me abocanha um posto no Ministério da Defesa, digo, da Educação.

Paz, saúde e autoritarismo. É isso que lhe desejo. Muito dinheiro (público) no bolso. E não deixe de tirar pelo menos uma semana de descanso nesse recesso universitário. Tome um bom vinho, leia um bom livro e escreva alguma coisa. Exercite sua mente brilhante. Só tome um cuidado, meu amigo: ouvi falar que é justamente a sua mente, ou mais especificamente a sua cabeça, o que a moçada da USP tem desejado para si no ano que vem.

Com um afetuoso abraço,

Geraldo Alckmin
Governador de São Paulo e Professor Dr. de Democracia