17 de dezembro de 2008

Sobe e desce

— Luís Otávio! Quanto tempo! Não parece nem que a gente...
— Pois é. É a correria, não...?
— Só aqui a gente esbarra de vez em quando...
— Nem me fale! Dezembrão...
— É a loucura que a gente conhece. E a família?
— Bem, graças a Deus. O difícil é reunir todo mundo no Natal. Filho estudando lá, irmão trabalhando acolá...
— Mas no fim dá tudo certo.
— É, Natal... Aliás, minha esposa gosta muito da sua, você sabe disso. Elas deviam se encontrar mais. Falo tanto pra Neire ir fazer uma visitinha à Dorinha...
— Verdade...
— Ela continua bordando?
— Sim, sim. Vai hoje mesmo mandar uma encomenda pro 215, pra dona Persiana. Dona Persiana que, aliás!
— O quê?
— Não tem observado o sobe-e-desce que ela está com molecada? Logo ela, hein! Onde pára o mundo?
— A dona Persiana?
— A própria.
— De sobe e desce com molecada? Molecada, molecada? A dona Persiana já tem lá seus quase sessenta anos...
— De puro fogo, meu caro! E eu que achava que persiana só se abria em dia de arco-íris...
— Como assim?
— Foi uma piada, ô Luizão! Persiana... cortina... Foi um trocadilhozinho... Não percebeu pelo tapinha que lhe dei nas costas?
— Você sempre me dá tapa nas costas, Gerson.
— Tem razão, mas a dona Persiana, não? De pensar que...
— Olha só! Vamos parar no segundo. Isso que dá ficar falando, falando, falando.
— Verdade, muda de assunto aí.
— O elevador vai abrir.
— Isso não é assunto, Luís, porra!
— Será que chove hoje?
— Se chover a persiana abre do mesmo jeito!
— A porta...
— Dona Persiana! Mas o Luís estava agora mesmo falando da senhora!
— Eu?!
— Você mesmo, Luisão. Falando daquele bolinho de fubá que a senhora fez pra nossa confraternização de Natal do ano passado... Teremos repeteco?
— Pois, então, meu filho. Não garanto nada, afinal...
— Afinal, está aquela correria, não é mesmo? Dezembrão... Natal... A Dorinha do Gerson leva o bolo dessa vez. Até breve.

2 comentários:

Victória disse...

Hahaha... adorável!

Lívia disse...

nossa,. fazia tempo que nao entrava aqui.
muito legal isso!