10 de setembro de 2008

Oi, revolução

Tenho acompanhado, pela televisão, as propagandas desse tal grupo de telefonia celular (que só citarei o nome, apesar de já citado, mediante patrocínio ao meu blog).

Interessante o papo deles. Dizem estar lutando pelos nossos direitos, os direitos dos cidadãos. Nos comerciais, enquanto a voz masculina introduz em nossas mentes o quanto a tal operadora luta por nós, imagens, como diria?, inspiradoras, aparecem. Aquelas imagens que simbolizam conquistas de direitos pela sociedade. Ó, como eles são bons!, devemos pensar. Lutaram pelo tal desbloqueio (não sei exatamente do que se trata, porque não utilizo celular), e hoje ele é obrigatorio. "A sua operadora não desbloqueia seu aparelho? Vem, que a gente desbloqueia de graça.", propagandeiam, não exatamente com essas palavras. É triunfal. Quanta preocupação com a nossa sociedade! Aquele executivo que tem três celulares (um para o trabalho, outro para a família e outro para a amante) nunca deve ter se sentido tão revolucionário! Mas aquele outro, mais pobre, que ainda não pode comprar seu aparelho, também assiste à televisão. Dane-se! Essa empresa é demais. As outras operadoras, claro, ainda vivas, são o ópio do povo. Que lindo!

Oi, revolução, manda um beijo pra demagogia.

2 comentários:

Daniel Serrano disse...

por favor, companheiro irmão, postoqueposto sempre minúsculo e tudojunto! É vingança pelo "ismo e esmo"

Lívia disse...

oi, pedro, manda um beijo pro seu post poorque eu adorei essa frase!