28 de setembro de 2008

Esqueçam tudo o que eu escrevi

-- Mas como isso é lindo, não? Que país, meu Deus! Pena que está em más mãos...

As duas senhoras, que estavam com o neto, não ligaram muito para o comentário. Uma delas, em cima de um banco, continuava a aventura de colher jabuticabas. A outra, no chão, comendo as que estavam em um saco plástico, olhou ao neto e disse disfarçadamente: "Lá vem falar mal do nosso Lula...". Chupou uma jabuticaba e cuspiu a casca no chão. Os três responderam algo como "esse país é mesmo fantástico.", em tom simpático. O clima estava perfeito, assim como o humor e as frutas.

-- Porque se formos para a Europa... É outra história! Lá as coisas funcionam, sabe? E esse país lindo... Terra boa, fruta boa, sol bom... Assim em más mãos! Além de um povinho que nos decepciona, não é mesmo... -- insistiu a tal mulher, que tinha mais de cinqüenta anos, pele bastante branca e cabelos morenos. Ela entrara em cena justamente em um momento sublime, em que o trio familiar degustava as frutas à sombra da árvore.

Os três puderam saber, ao longo de uma conversa entrecortada por deglutições, que a filha da mulher morara na Inglaterra e que seu genro, que a acompanhava à distância, era belga. Coincidência, aliás. Uma das avós havia comentado, minutos antes, o quanto um estrangeiro ficaria admirado com tamanha beleza das jabuticabeiras.

"Seres vivos desta cor, grudados em um pau, à serviço de sua vontade... talvez isso a estimule a dar com a língua nos dentes", pensou, de maneira exagerada, o adolescente em relação à mulher. Realmente era ela do tipo que discrimina estratos bancários ou ausência de diplomas, mas o pensamento fora por demais cruel. À atitude preconceituosa, que bulia com seus pensamentos, decidiu, entretanto, estabelecer uma indiferença cordial. Subiu na árvore e, comendo, ouviu:

-- Você pretende prestar o quê para faculdade, meu bem?

-- Ciências Sociais -- respondeu, sorrindo.

-- Ah, mas é disso que o país precisa! -- disse a mulher, em tom aprovador.

-- De FHC, senhora?

3 comentários:

Marco Antônio de Araújo Bueno disse...

Ótimo! Você é bom de arremates. Só um goleiro observador sabe da importância de arremates...
Parabéns e "splas/aplas/splas, da foca.

Lívia disse...

foi assim mesmo?
bravi!!

Lívia disse...

bravo*