7 de setembro de 2008

Esmo rima com...

De cara, gostou do título: ismo a esmo. Deixou, na postagem inicial da recém-inaugurada página, uma mensagem de apoio à iniciativa, refletindo sobre o título escolhido pelo dono do ismo, digo, dono do blog. Citou existencialismo, regionalismo, reformismo e outras tantas palavras terminadas dessa maneira, em um comentário divertido e inteligente, cheio dos trocadilhos acerca do título escolhido.

O esmo estava implícito em todos aqueles ismos, já que estes estavam justamente a esmo no comentário. Porém, faltava escrevê-lo, de fato. Valorizá-lo como palavra que pode viver sozinha, e não somente a dar um não-rumo às coisas, como faz a ismos por aí. Então, logo no final do comentário, citou: “esmo”.

Mas foi pego de surpresa. Não achava palavra no mundo que rimasse com a citada. “Sacanagem, antilirismo!”, saiu-se bem, escrevendo.

Não tão bem se saiu, na verdade. Meteu lá um esmo, mas não achou palavra que rimasse com ele. Rápido no gatilho, meteu um ismo. Ora, já tão citado, veio a reaparecer justamente em um momento em que o propósito era esquecê-lo, valorizar a outra parte do título independentemente desta! Ficou encafifado.

Quando a mãe chegou em casa, matou a curiosidade. A vida inteira pôde ser assim. Tinha dúvida de vocabulário, perguntava à mãe. Às vezes, pergunta fácil, recebia a resposta na bucha. Outras vezes, aquelas perguntas cabeludas, em alguns casos até mesmo constrangedoras, não havia resposta ou, se houvesse, também na bucha, era inventada, o que a criança jamais percebia, é claro.

Desta vez era só uma riminha. Depois de ter criado cinco filhos, a mãe estava experiente e conseguiria com facilidade.

Então, como na infância, recorreu ao seu mais confiável dicionário, a mãe, aquele que acumula palavras há mais de oitenta anos. Aquele que tem todas as palavras para entregá-las aos filhos, quentinhas, quando precisarem:

-- Mãe, com o quê rima esmo?

Com naturalidade, como se já soubesse há anos que esta pergunta lhe seria feita, a senhora respondeu:

-- Filho! Torresmo!

Nenhum comentário: